domingo, 2 de fevereiro de 2014




Já não sabia se era...
O velho amante que retornava sem espadas,
ou  um novo  amor  liberto,  cantando de alegria
Se era sonho
Se era realidade
Não, ela não sabia
Só sabia que vibrava
De tanto que o queria
Coração disritmia
prazer, prazer!
Era noite, era dia,
Não era tarde                                  
Pra quem queria
Suor, brilho nos olhos
O encontro da poesia
Era   encanto, tanto canto
Que nela o amor se (re) fazia...

Ana Paula dos Santos Risos  










Nenhum comentário: