domingo, 11 de dezembro de 2011

Sobre o amor



São e lírico
Forte e subjacente
 Como uma brincadeira da tradição
Necessário e humano
que quando nos machucamos
a cicatriz é a melhor lembrança
do aprendizado
para saber que vivemos
porque corpo liso não tem graça
e quando nos encontramos machucados
o mais divertido
é querer cuidar da cicatriz do outro
e sendo pouco gostar tanto dela
toma ela para si
Brincar ainda mais?
Ou temer de acontecer de novo ?
Repetindo o jogo

o jogo muda 
mas tem que permitir

com os jogadores novos
O nome é o mesmo
Embora não os seja o conteúdo
Identificando -se no outro
beija a cicatriz
quem sabe” antes de casar sara”...
 é uma brincadeira da tradição humana
muitas vezes esquecida
quando é mais forte a regra,
que o brincar

Ana Paula dos santos risos  11/12/20011

domingo, 4 de dezembro de 2011

Não houve libertação



Você como homem amor de meus olhos menina
adormeceu em meus seios
lado a lado pálpebra e coração
mariposa sonhadora
que me inspira
direção e palavra
Você homem amor de meus olhos mulher
adormecido em meus seios
e sugando meus mamilos
tato da memória...


Seu erro meu erro 

nosso erro nenhum erro 
que seja feito a nossa vontade 
 eu uma qualquer 
mulher 
qualquer igual 
mulher, mulher, com palavra de mulher 
e com um homem adormecido  
e palavras que me sobram 

E que a quimera 
não seja o fim deste poema 
que o homem adormecido acorde de meus seios
nem que voe mariposa
nem que vivendo morra 
ou que diga :
-Bom dia amor!
 Mas que liberte-me por favor, 
concretamente 
deste homem amor.



Ana Paula dos Santos Risos
04/12/2011